Erro ocorreu durante a atualização

Tô no meu limite com o mestrado.

2020.09.24 09:34 SopaDeMolhoShoyu Tô no meu limite com o mestrado.

Acho que muitos aqui acompanharam minha saga com o mestrado (para quem não acompanhou, leiam as partes 1, 2, 3 e 4 para entenderem os problemas que eu tive). Desde então, consegui a extensão de prazo de 90 dias, porém a minha matrícula foi feita somente no dia 24 de agosto, mesmo que o novo prazo valesse a partir do dia 17 de julho. Ou seja, fiquei mais de um mês sem poder fazer nada por conta desse problema, dado que eu dependia de estar matriculado para as próximas etapas. E, para tornar a situação ainda mais merda, tive que pagar o mês que eu não fiquei matriculado.
No dia 24, ou seja, quando a minha matrícula ficou válida, dei entrada no Comitê de Ética, corrigindo os erros do processo que eu havia mandado antes da extensão de prazo. Falar com minha desorientadora não foi uma opção, dado que, em todos os e-mails que eu mandava para ela a respeito do assunto, ela me pedia para falar com a funcionária do Comitê de Ética da faculdade. Esta última foi péssima, não explicando como preencher os campos na Plataforma Brasil de forma clara, e em muitos casos eu tive que advinhar o que fazer. Eu deixei explícito para ela que não queria retrabalho, e, após cerca de uma semana, consegui enviar. Aí, meu trabalho era esperar até que liberassem tudo, para que eu pudesse aplicar a pesquisa nas pessoas. Pois bem...houve uma evolução no processo que corria na Plataforma Brasil até o dia 12, aí simplesmente parou. Na segunda-feira, liguei para a funcionária do Comitê de Ética, que me informou que o processo poderia durar até 30 dias. Aí, mandei um e-mail para a minha desorientadora, que me explicou que uma nova extensão de prazo não seria possível, e que eu teria que entrar em contato com o coordenador do curso para explicar a situação. Mandei um e-mail para o mesmo e, até o presente momento, o coordenador não me respondeu. Na terça-feira, novamente liguei para a funcionária do Comitê de Ética, e uma nova frustração, pois ela me pediu para mandar um e-mail explicando o ocorrido, e fiz isso.
Ontem, ocorreu uma atualização no processo da Plataforma Brasil e, logo depois, liguei para a funcionária para saber os próximos passos, e ela me disse que responderia o e-mail mandado anteriormente. Algumas horas depois, acessei a Plataforma Brasil após receber um e-mail sobre uma atualização de status, só para ver se tinha ocorrido algo. Eles atualizaram, dizendo que haviam pendências a serem corrigidas. Cliquei no link para ver o que ocorreu. Para a minha surpresa, o texto era exatamente o mesmo do processo anteriormente rejeitado. Ou seja, eles pediram para alterar os pontos que eu já havia alterado. Para vocês terem uma idéia, em um dos pontos, pediram para alterar um endereço de e-mail que estava na versão anterior de um dos documentos para um que eu já havia colocado. Além disso, pediram para alterar o número de participantes, pois haviam incoerências na versão anteriormente submetida e já corrigidas na nova versão. Aí, fiquei revoltadíssimo e o sangue subiu. Pistolei e comecei a xingar aquela cambada de filhos da puta do caralho, que querem fuder os alunos de qualquer jeito. Eu não consegui fazer nada nos últimos meses por pura burocracia deles, e também paguei um mês que eu não pude utilizar. Ironicamente, alguns minutos depois dessa merda, a funcionária do Comitê de Ética me mandou um e-mail, informando que haviam atualizado o processo.
Algumas horas depois, liguei para um grande amigo, que chegou a ser orientado pela minha desorientadora na graduação, há cerca de uma década. Conversei sobre qualquer outra coisa, mas desabafar sobre as merdas ocorridas no mestrado foi inevitável. Ele sabia dos problemas que eu estava passando, mas o atualizei mesmo assim. E ele me disse que, quando eu o informei sobre trabalhar com a minha desorientadora, ele ficou assustado, mas não falou nada porque trocar de orientador durante o mestrado é praticamente impossível, e eles que definiram o orientador antes mesmo da primeira aula do curso. Além disso, esse meu amigo definiu a minha orientadora como uma víbora, e eu concordei. Depois, até brinquei com ele, dizendo que seria uma ofensa ao Dodge Viper que nós dois tanto amamos e à primeira banda do nosso querido e saudoso André Matos, artista que tivemos a oportunidade de ver ao vivo juntos várias vezes, hahahaha. De qualquer forma, ele disse que ela não orientava, mas sim dava esporro. E sim, já tive o desprazer de ver ela me dando esporro, e não foi nada agradável.
Hoje, vou tentar falar com a funcionária do Comitê de Ética sobre o ocorrido. Caso eles não aceitem a versão que eu alterei há quase um mês e já submetida à Plataforma Brasil, vou largar o foda-se e desistir do mestrado, pois minha saúde mental foi pro caralho por causa de todas as merdas ocorridas nos últimos meses. Sei que está no fim, mas não dá pra aceitar esse tipo de situação por mais tempo. Principalmente com uma desorientadora totalmente evasiva, uma funcionária do Comitê de Ética que te confunde a cada e-mail ou ligação e um coordenador que tá cagando e andando pra você.
Certa vez, ainda no início do mestrado, a minha desorientadora foi a um congresso fora do Brasil. Da viagem, ela me trouxe um cartão postal, onde ela escreveu "u/SopaDeMolhoShoyu, que a pesquisa seja uma viagem enriquecedora em todos os sentidos". Pois bem...me enriqueceu em problemas de ansiedade, em noites sem dormir e em um desejo de nunca mais trabalhar com pessoas assim. Caso eu desista desse mestrado, posso até fazer outro curso de mesma natureza, mas vai ser em outra instituição, pois estou tão desgastado com toda essa merda que perdi o tesão pela minha pesquisa. É isso, gente. Obrigado por lerem esse textão gigante, e desculpem pelos erros de português que podem ter ocorrido, mas tá foda de me concentrar pelo fato de eu estar puto pra caralho e de estar vivenciando mais uma madrugada sem conseguir dormir.
submitted by SopaDeMolhoShoyu to desabafos [link] [comments]